Operação Arreica: Polícia Federal e MP cumprem mandatos em Araruama

 

Moradores de Araruama, estranharam nesta manhã (27), a presença da Polícia Federal no município. Segundo informações trata-se da Operação Arreica deflagrada pela PF e Ministério Público em quatro município do interior fluminense, entre eles, Araruama.

Segundo o delegado da Delegacia de Polícia Federal de Macaé, RJ, responsável pelas apreensões na região, Elias Escobar, o objetivo da operação é o recolhimento de provas e produtos relacionados a fraude eleitoral, como crimes como peculato, captação de voto ilegal, fraude eleitoral, fraude em licitação e formação de quadrilha.

Campos dos Goytacazes, Casimiro de Abreu e Silva Jardim também foram alvo da operação.

Em Araruama quatro mandatos foram expedidos. A PF e o MP não divulgaram nomes de envolvidos.

As primeiras informações dão conta que duas pessoas foram presas em Campos.

A PF tem empregado 133 policiais no cumprimento de 34 mandados de busca e apreensão, distribuídos pela circunscrição da Delegacia de Polícia Federal em Niterói.

Maiores informações serão prestadas em entrevista coletiva às 15 h na Superintendência Regional da PF no Rio de Janeiro.

Foto: Reprodução da internet

, , , , ,

2 comentário to “Operação Arreica: Polícia Federal e MP cumprem mandatos em Araruama”

  1. sergio roberto alves
    5 de outubro de 2012 às 15:20 #

    ola o que vou falar e pura verdade que em araruama so tem discasos e uma dierama.dinheiro.pra la pra tudo qui situação desses caras da atual adiministração.e ruas emburacadas e colegios sem merenda e asfalto jogado fora.muito lixo nos rios e bairros imudos e um discaso total poxa povão chega chega ta na ora de dar um basta.o povo sofre muito ou sofreu muito com esse governo que ai estar chega.

  2. Aparício Fernando
    12 de novembro de 2012 às 0:30 #

    Na realidade o que deveria ser investigado são as urnas eleitorais. Em Saquarema aconteceu um fato muito estranho. Antes das eleições era só andar pelas ruas e perguntar em quem o eleitor iria votar que a resposta era unânime: Pedro Ricardo, candidato da oposição. Pois bem, o rapaz perdeu em todas, eu disse todas as 173 urnas da cidade. Perdeu e perdeu de muito. O mais estranho é que hoje, um mês após as eleições você vai às ruas e os eleitores continuam unânimes em dizer que votaram em Pedro Ricardo. Seria muito mais cômodo pro eleitor dizer que votou na candidata vitoriosa. Mas não, o eleitor bate o pé afirmando que votou no outro. Curiosamente, é difícil encontrar alguém que de confirme que votou na candidata vencedora, que coincidentemente é a esposa do deputado estadual Paulo Melo, presidente da ALERJ. Existem vários relatos da internet e inclusive vídeos no YOUTUBE atestando a vulnerabilidade dessas urnas. Está lá pra quem quiser assistir. O fato é que com esse triunvirato: Cabral, Zveiter e Paulo Melo atenta contra a democracia. Todos os poderes encontram-se de um lado só da balança prejudicando a alternância do poder, principal filosofia da democracia. O fato é que não adianta espernear, pois o TSE, por mais que existam evidências que comprovem, jamais irá admitir fraudes em suas ‘caixas pretas’. O ideal seria que a urna eletrônica emitisse, também, um cupom onde mostrasse em quem o eleitor votou. E que esse cupom fosse colocado numa urna tradicional ao lado dos mesários, para fins de comprovação posterior. Uma coisa é certa: nenhum outro país no mundo, depois de examinar, quis comprar nosso ‘avançadíssimo, rápido e moderno’ método de escrutínio, nem o Paraguai.

Deixe um Comentário

Deixe sua opinião aqui. Seu e-mail será mantidos em sigilo.