Prédio de seis andares é demolido na Muzema, e Prefeitura chega a quatro mil demolições de construções irregulares – Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro

O prédio estava sendo construído numa região que sofre influência do crime organizado – Marcos de Paula/Prefeitura do Rio

A Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria de Ordem Pública (Seop), realizou nesta quinta-feira (13/6) a demolição de um prédio de seis andares – com estruturas e demarcações para dois apartamentos por pavimento, além da cobertura – construído irregularmente no condomínio Figueiras do Itanhangá, na Muzema, área que sofre influência do crime organizado. Com a operação, a Prefeitura atinge a marca de quatro mil demolições realizadas desde 2021, com um prejuízo estimado de aproximadamente R$ 1 bilhão aos responsáveis.

As ações foram feitas 70% em áreas com atuação de criminosos (milícia, tráfico e narcomilícia), sendo 55% delas na Zona Oeste da cidade. Além das operações nessas regiões com crime organizado, a Prefeitura também já realizou centenas em áreas de proteção ambiental.

O prédio possui aproximadamente 900 m² de área construída e é ilegalizável, uma vez que não atende aos parâmetros urbanísticos do local, além de não possuir nenhuma autorização da Prefeitura para a obra. De acordo com engenheiros da Prefeitura, a demolição causará um prejuízo de cerca de R$ 3 milhões aos responsáveis.

A construção está em uma área de encosta, com inclinação acentuada, com média a alta possibilidade de deslizamento por não possuir obras de contenção. O prédio encontra-se desabitado. A obra já havia sido embargada, inclusive com diversas aplicações de multas ao responsável.
A Secretaria de Ordem Pública já demoliu outros 13 edifícios irregulares no mesmo condomínio, sendo dois prédios exatamente ao lado deste que será alvo da operação de quinta-feira. Os responsáveis tinham conseguido uma liminar impedindo a demolição, mas que foi revogada, dando ao município a condição legal de realizar essa ação.

– Essa demolição quatro mil é mais um grande marco no trabalho da Prefeitura do Rio de auxílio à segurança pública. Essas operações possuem um tripé de motivação muito forte: a asfixia financeira do crime organizado, uma vez que atuamos em um dos braços mais lucrativos desses grupos criminosos, que é a construção civil; o ordenamento da cidade; e a preservação de vidas, já que essas construções, em sua maioria, não possuem um responsável técnico habilitado e coloca em risco a vida das pessoas – destacou o secretário de Ordem Pública, Brenno Carnevale.

Em 2019, outros dois prédios construídos irregularmente no mesmo condomínio desabaram e causaram a morte de 24 pessoas.

Categoria:

  • 13 de junho de 2024
  • Marcações: Demolição de construção irregular Muzema Ordem Pública Prefeitura do Rio

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *